caio mattoso
foto: ahmad jarrah

experimenta assim ao vivo 


experimenta assim no teatro da ufmt 

por Neyres Taveira Querideza 

 "Não custa nada sonhar"...música de Itamar Assumpção embalou os primeiros momentos dessa escrita que vai com todo carinho para descrever minhas "impressões" sobre o show Experimenta assim do artista Caio Mattoso. Assim como Itamar, Caio é um artista de vanguarda, e artistas ditos tão modernos, carregam geralmente a saga de "serem póstumos", com sua obra entendida somente após algumas gerações. Mas no caso de Caio Mattoso, dá uma vontade de espalhar uma notícia maravilhosa: A vanguarda é hoje! Chegou a modernidade, a sutileza, a arte bem feita, bem desenhada....a arte e a beleza... a arte é a beleza!!

Que alegria poder ver esse trabalho executado no Teatro da UFMT lotado...merecidamente lotado...mas também já tive a honra de assistir ao Caio lá na praça do Pedra Noventa, quase vazia...ou na praça do Cristo Rei da Várzea Grande ou na Praça da Mandioca nas encantadoras noites de terças-feiras do "Sarau - das Artes - Free". Aproximar a arte das pessoas é um ato de muita generosidade e amor.

E agora lá estava Caio no palco com Maykonn Sauder, que segundo ele: um "guitarrista leve" e Igor Carvalho, baixista que percorre com igual leveza todas as músicas do repertório.

Chama uma imensa atenção o desenho moderno da apresentação...com Fabrício Chabô no comando das projeções...criando e exibindo as animações. Para Gabriel (meu filho, cria do Sarau free), o auge foi com a música "Somos Patrão"...confesso que com a exibição de "Toureiro" fui às lágrimas com as imagens reais das touradas. Para minha impressão, a tourada representa a insanidade humana e sua face ainda tão primitiva, que expõe o touro à morte sangrenta numa arena, mas que ele mesmo pode se tornar a vítima da fera furiosa que agoniza.

Em "200 kM/H/ Rap do gurizão"...junto com a execução da música vemos as cenas do escárnio das atitudes dos maus políticos que a cada dia "inventa mais imposto". Porque parece não haver fundo na ganância de políticos e empresários descomprometidos com a coletividade, que formam verdadeiras quadrilhas organizadas para saquear o que é público...e a música fala de frente essa verdade e representa tudo que queremos dizer nessa hora: "Seus vigaristas, vocês se tornaram corruptos"! Até aqui só citando algumas das músicas, todas incríveis.

Deve ter sido uma delícia realizar o projeto do disco com Igor Mariano, Sidney Duarte e Alex Teixeira. Porque o show que assistimos é apenas uma parte do projeto que inclui o disco e shows no interior do Estado, incluindo uma aldeia indígena, tendo recebido o incentivo da Lei estadual de cultura. Daí eu fiquei pensando o quanto que: "mesmo com pouco dinheiro, mas bem empregado... é possível realizar coisas belas- mesmo sem pretensão'. Beleza de contar com João Ninguém (João Batista dos Santos) na participação do roteiro do show, beleza de remunerar os profissionais envolvidos para que tudo se fizesse tão lindamente artístico. Minha vontade é que realizem outros shows, porque eu quero levar todo mundo que conheço, para que possam ver a maravilha de arte que vocês são capazes de fazer.

Parabéns Caio Mattoso, Julianne de Quadros, Fabrício Chabô, Maykonn Sauder, Igor Carvalho, Igor Mariano, Sidney Duarte, Alex Teixeira, João Ninguém...vocês conseguiram um lindo trabalho de equipe! Um espetáculo tão lindo, que só poderia mesmo ser um trabalho de equipe e para completar essa equipe linda, vou parafrasear Eduardo Ferreira (cidadão cultura.com.br), com sua devida licença Edu,...Experimenta assim: eu experimentei e gostei!! (20 de março de 2018)

Filmagem curta #JURI

de Samantha Col Debella

#JURI (curta-metragem) é um filme que aborda o erro do outro e como as pessoas lidam com isso. Filmado em Cuiabá tem no elenco a atriz carioca Regina Sampaio, Luciano Bortoluzzi, Rodrigo Fernandes, Glauber Couto, Caio Mattoso, Tatiana Horevicht, e mais uma galera massa.

A fotografia é do Marcelo Biss e roteiro e direção são assinados pela Col Debella. A estreia está prevista para o fim do segundo semestre de 2018. 

segundo episódio CUIABÁ de A a Z

projeto retângulos do rio

produzido pelo "Selo Selvagem", Caio Mattoso e Júlio Nganga se reuniram sob um retângulo que correu o rio Cuiabá durante 10 dias, para compor, arranjar e gravar uma música por dia.

opereta trum videoclipe

caio mattoso no facebook


ep Opereta Trum